Segurança do paciente: Cirurgia Segura, por Fernanda Barboza

0

Olá, amigos(as) concurseiros(as) de enfermagem! Vamos comentar mais um aspecto sobre o tema da moda: segurança do paciente.

Sobre essa temática, temos como base a Portaria do MS 529/2013 que cria a Política Nacional de Segurança do Paciente, e o Manual da ANVISA “Cirurgias Seguras Salvam Vidas”.

Além desses documentos, temos o Manual do Conselho Regional de Enfermagem de São Paulo (COREN-SP), que aborda os 10 passos para a segurança do paciente, no qual o 4º passo é Cirurgia Segura.

Esse passo apresenta medidas para tornar o procedimento cirúrgico mais seguro e ajudar a equipe de saúde a reduzir a possibilidade de ocorrência de danos ao paciente. Isso é possível por meio da promoção da realização do procedimento certo, no local e paciente corretos.

Para tanto, a utilização de uma, ou de várias, lista de verificação (checklist) traz inúmeras vantagens. Os serviços devem elaborar suas listas específicas, dependendo da complexidade dos procedimentos que são realizados.

cirurgias-seguras-salvam-vidas-2

Vamos entender quais são as medidas sugeridas para tornar a cirurgia mais segura o possível.

Medidas sugeridas

  1. Estimule a comunicação eficaz e adequada entre os membros da equipe, eliminando quaisquer dúvidas a respeito de quais procedimentos serão realizados e os materiais que deverão ser utilizados.
  2. Identifique corretamente o paciente e o oriente a participar da marcação do local da intervenção cirúrgica.
  3. Verifique se o prontuário pertence àquele paciente, se os procedimentos cirúrgicos e anestésicos foram planejados, se esses estão anotados no prontuário, e se os exames laboratoriais e de imagem são de fato do paciente.
  4. Confirme se os materiais imprescindíveis para realizar o procedimento encontram-se na sala e se o carrinho de emergência está completo.
  5. Desenvolva listas de verificação específicas e as utilize nas diferentes etapas do processo. Por exemplo: lista de montagem de sala cirúrgica, lista de conferência dos documentos em prontuário, lista de verificação do carrinho de anestesia etc.
  6. Estimule a cultura de segurança do paciente, implantando a lista de verificação recomendada pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Essa lista define três fases distintas: checar imediatamente antes (sign in – realizado antes da indução anestésica); checar antes (time out – realizado antes da incisão na pele) e checar depois (sign out – realizado antes de o paciente sair da sala de cirurgia).

cirurgias-seguras-salvam-vidas-3-2

  1. Checar imediatamente antes (Sign in – antes da indução anestésica)
  • Confirmação do paciente: identificação do paciente, do local da cirurgia, do procedimento a ser realizado e preenchimento do consentimento informado.
  • Marcação do local da intervenção cirúrgica pelo profissional que irá realizar o procedimento e/ou pelo paciente.
  • Realização, pelo anestesista, dos procedimentos de segurança para anestesia, como a conferência do equipamento de anestesia.
  • Monitoramento de oximetria.
  • Verificação de alergias.
  • Verificação das dificuldades de ventilação ou risco de aspiração.
  • Avaliação de possíveis perdas sanguíneas ou risco de aspiração.
  1. Checar antes (Time out – antes da incisão na pele)
  • Confirmação de todos os membros que compõem a equipe, apresentando-se pelo nome e função.
  • Confirmação do paciente, local da cirurgia e do tipo de procedimento.
  • Verificação, pelo cirurgião, dos pontos críticos da cirurgia, duração do procedimento e perdas sanguíneas.
  • Verificação, pelo anestesista, dos pontos críticos da anestesia.
  • Verificação, pela enfermagem, dos pontos críticos da assistência, como indicadores de esterilização e equipamentos necessários para a cirurgia.
  • Realização de antibioticoterapia profilática.
  • Verificação da necessidade de equipamentos radiográficos.
  1. Checar depois (Sign out – antes do paciente sair da sala de cirurgia)
  • Confirmação do procedimento realizado.
  • Conferência dos instrumentais, compressas e agulhas.
  • Conferência, identificação e armazenamento correto de material para biópsia.
  • Anotação e encaminhamento de problemas com algum equipamento.
  • Cuidados necessários na recuperação anestésica.
  1. Solicite uma pausa nas atividades dos profissionais para a realização de cada etapa da lista de verificação, que deverá ser feita em voz alta.
  2. Registre no prontuário que o procedimento de verificação foi realizado, bem como os nomes dos profissionais que participaram da cirurgia.

Com base no Manual do COREN-SP, é importante destacar alguns pontos de atenção na assistência ao nosso paciente para uma cirurgia segura.

Pontos de atenção

  1. A marcação cirúrgica deve ser clara, sem ambiguidade e deve ser visível mesmo após o paciente preparado e coberto.
  2. O local é marcado em todos os casos que envolvam lateralidade (direito/esquerdo), múltiplas estruturas (dedos das mãos/pés, lesões) ou múltiplos níveis (coluna vertebral).
  3. Se houver recusa do paciente em demarcar determinada região, ou o paciente não estiver orientado, a instituição deverá adotar mecanismos que assegurem o local correto, a intervenção correta e o paciente correto.

 

Agora que vimos um pouco da teoria, vamos verificar como o tema Cirurgia Segura está sendo abordado em algumas provas.

 

  1. (CESPE/UFPAMPA/2013) Outro ponto importante para a segurança cirúrgica e, consequentemente, para a segurança do paciente, é a demarcação da região do corpo a ser operada. Recomenda-se a participação ativa do paciente nesse processo e a utilização de símbolos para sinalização dessa região, como a seta.

comentario-01-cirurgias-salvam-vidas

Gabarito: certo

 

  1. (CESPE/INCA/2010) Acerca da recepção e das medidas de segurança do paciente no ambiente cirúrgico, julgue o item seguinte.

O enfermeiro e sua equipe são os responsáveis pela segurança e pelo conforto do paciente em todos os momentos de sua presença no centro cirúrgico.

comentario-02-cirurgias-salvam-vidas

Gabarito: certo

 

  1. (FUNCAB/SESACRE/2014) Segundo o Protocolo para Cirurgia Segura, após o término da cirurgia e antes de o paciente deixar a sala de cirurgia, deve-se:

  2. a) confirmar visualmente o sítio cirúrgico correto e sua demarcação.

  3. b) revisar verbalmente com a anestesiologista o histórico de reação alérgica.

  4. c) confirmar a assinatura do consentimento para cirurgia.

  5. d) verificar a correta contagem de instrumentais, compressas e agulhas.

  6. e) verificar se os exames de imagem foram necessários para a cirurgia.

comentario-03-cirurgias-salvam-vidas

Gabarito: letra d.

 

4.(CESPE/INCA/TÉC. ENFERMAEGEM/2010) Acerca do processo de cirurgia segura, julgue o item subsequente.

O processo de cirurgia segura foi proposto pela Organização Mundial de Saúde com o objetivo de aumentar a segurança em procedimentos cirúrgicos realizados em unidades de cirurgia oncológica

comentario-04-cirurgias-salvam-vidas

Gabarito: errado.

 

  1. (CESPE/INCA/2010) Acerca do processo de cirurgia segura, julgue o item subsequente.

      O processo de cirurgia segura deve seguir um checklist de três fases: antes de iniciar a anestesia, antes de iniciar a cirurgia e após o término do procedimento, antes de o paciente deixar a sala de operações.

comentario-05-cirurgias-salvam-vidas

Gabarito: certo.

 

  1. (CESPE/INCA/2010) Acerca do processo de cirurgia segura, julgue o item subsequente.

        No processo de cirurgia segura, a checagem da instalação do oxímetro e da sua funcionalidade deve ser feita após a anestesia e antes da incisão cirúrgica.

comentario-06-cirurgias-salvam-vidas

Gabarito: errado.

 

  1. (CESPE/TRT 8ª/2016) De acordo com o Manual para Cirurgia Segura da Organização Mundial da Saúde, assinale a opção correta referente à assistência de enfermagem perioperatória.

  2. a) A pausa cirúrgica para a confirmação do paciente, do procedimento e do local da cirurgia é etapa exclusiva dos médicos.

  3. b) A coleta de dados acerca de cirurgias e os resultados de análises estatísticas desses dados contribuem para a melhoria na qualidade da assistência à saúde e, consequentemente, para o cuidado de pacientes mais doentes.

  4. c) O controle da hipoglicemia e a redução de peso de pacientes obesos não têm relação com os métodos de prevenção de infecções de sítios cirúrgicos.

  5. d) Em vítimas de trauma com hemorragia, o único procedimento a ser adotado, antes da chegada do paciente ao hospital, é a tentativa de controle da hemorragia externa por pressão manual.

  6. e) É prioritária a segurança na anestesiologia obstétrica, pois pacientes obstétricas estão expostas a risco anestésico particularmente alto.

comentario-07-cirurgias-salvam-vidas

Gabarito: letra e.

  1. (FCC/TRT-23ªRegião/2016) O profissional de enfermagem, enquanto membro da equipe de saúde, participa da Lista de Verificação de Segurança Cirúrgica, com o objetivo de ajudar as equipes cirúrgicas a reduzir a ocorrência de danos ao paciente. Dentre as verificações de segurança que devem ser completadas após o término do ato cirúrgico e antes de o paciente sair da sala de operação, estão:

  2. a) confirmar se o cirurgião que vai realizar a operação marcou o local da cirurgia.

  3. b) perguntar, em voz alta, se os antibióticos profiláticos foram administrados nos últimos 60 minutos.

  4. c) perguntar se o doente tem alguma alergia conhecida e, em caso afirmativo, qual.

  5. d) confirmar, verbalmente, com o doente a sua identidade, o tipo de procedimento previsto, o local da cirurgia e se o consentimento para a cirurgia foi dado.

  6. e) confirmar, em voz alta, a rotulagem correta de qualquer material obtido durante o procedimento cirúrgico, o nome do doente, a descrição e quaisquer marcas de orientação da amostra.

comentario-08-cirurgias-salvam-vidas

Gabarito: letra e.

Finalizamos por aqui nosso estudo por aqui, espero ter contribuído com seus conhecimentos nessa temática. Estou disponível nos cursos do Grancursos Online, e espero por você aqui!

Temos, inclusive, um curso específico sobre segurança do paciente e outro sobre centro cirúrgico para concursos, com essas ferramentas, você estará mais perto de alcançar seu objetivo.

Lembre-se: Sonhar sem ação é apenas ilusão!

Faça sua parte e vença os obstáculos e dificuldades rumo à aprovação!

Estamos juntos com você nessa caminhada.

___________________________________________________________________

Você já conhece a série “Quinta da Enfermagem”?

A série Quinta da Enfermagem é ministrada toda semana no canal do Gran Cursos Online no YouTube pela professora e enfermeira do Tribunal Superior do Trabalho (TST) Fernanda Barboza, que comenta provas de diferentes concursos da área da Enfermagem elaboradas por bancas diversas.

Nesta semana, a professora Fernanda Barboza corrigiu a prova do Tribunal Regional do Trabalho da 20ª Região. Confira!

A série é transmitida toda quinta-feira no canal do Youtube! Veja todos os vídeos, inscreva-se gratuitamente e não perca nenhum episódio! Basta acessar o link abaixo:

Inscreva-se AQUI 

9º episódio – Inscreva-se AQUI 
8º episódio – Inscreva-se AQUI
7º episódio – Inscreva-se AQUI
6º episódio – Inscreva-se AQUI
5º episódio – Inscreva-se AQUI 
4º episódio – Inscreva-se AQUI
3º episódio – Inscreva-se AQUI
2º episódio – Inscreva-se AQUI
1º episódio – Inscreva-se AQUI

 

Fernanda Barboza


Graduada em Enfermagem pela Universidade Federal da Bahia e Pós-Graduada em Saúde Pública e Vigilância Sanitária. Atualmente, servidora do Tribunal Superior do Trabalho, cargo: Analista Judiciário- especialidade Enfermagem, Professora e Coach em concursos. Trabalhou 8 anos como enfermeira do Hospital Sarah. Nomeada nos seguintes concursos: 1º lugar para o Ministério da Justiça, 2º lugar no Hemocentro – DF, 1º lugar para fiscal sanitário da prefeitura de Salvador, 2º lugar no Superior Tribunal Militar (nomeada pelo TST). Além desses, foi nomeada duas vezes como enfermeira do Estado da Bahia e na SES-DF. Na área administrativa foi nomeada no CNJ, MPU, TRF 1ª região e INSS (2º lugar), dentre outras aprovações.

____________________________________________________________________

Deixe uma resposta