Discursiva – Estudo de caso na enfermagem

0

discursiva-enfermagemOlá, pessoal! Como vão os preparativos para a prova do TRT da 20ª região (Sergipe)? Teremos na prova da banca FCC dois estudos de caso e gostaria de compartilhar algumas dicas com vocês.

A prova discursiva tem grande importância na classificação do candidato. Nos concursos em que obtive boa colocação, a parte discursiva foi o grande diferencial. Por isso, esforce-se para treinar e escrever vários textos sobre situações possíveis de ser cobradas.

No final deste artigo, selecionei alguns estudos de caso e questões discursivas que estiveram presentes em provas organizadas pela FCC. Assim você poderá se divertir e praticar.

Para ajudar-lhes nesse treinamento, apresento dois esquemas de resposta – sugiro que treinem a partir deles – para dois estudos de caso propostos pela da banca CESPE. O primeiro estudo foi explorado na prova do TJ/AL/2012 e o segundo, no concurso do MPU, em 2010.

Vamos lá!

  1. (CESPE/TJ/AL/2012) Em visita domiciliar a Victor, que tem 68 anos de idade e é aposentado do serviço público municipal, um enfermeiro da equipe do programa Saúde da Família constatou a seguinte situação: Victor é sedentário, tabagista, tem o hábito de comer churrasco aos finais de semana e de ingerir bebida alcoólica. O resultado do exame físico do paciente indicou pressão arterial de 165 mmHg × 100 mmHg, IMC maior que 30 kg/m2, circunferência abdominal maior que um metro e, ainda, edema de membros inferiores. Victor, que não fazia uso de qualquer medicação, relatou cansaço e história familiar de infarto (pai) e de diabetes melito (mãe).

Com base nas informações do caso descrito acima, redija um texto dissertativo, apresentando um plano de ação a ser instituído junto ao paciente em tela.

Em seu plano, mencione, necessariamente:

  • exames complementares necessários para a avaliação do grau de risco de doenças ou agravos transmissíveis; [valor: 2,00 pontos]
  • orientações relacionadas aos hábitos cotidianos de Victor (alimentação, ingestão de álcool, atividade física e tabagismo). [valor: 6,00 pontos]

Comentário

Dicas para a elaboração da resposta

  • Introdução – deve-se apresentar o paciente e seus diagnósticos.
  • Desenvolvimento 1 – Responder a primeira pergunta à Citar exames complementares necessários para a avaliação do grau de risco de doenças ou agravos transmissíveis.
  • Desenvolvimento 2 – Orientações relacionadas aos hábitos cotidianos de Victor (alimentação, ingestão de álcool, atividade física e tabagismo).
  • Conclusão – Resultados esperados após as orientações. Aqui é interessante reforçar medidas que aumentem a adesão do paciente ao tratamento proposto.
  1. (CESPE/MPU/2010) Um indivíduo do sexo masculino, com 45 anos de idade, casado, pai de dois filhos, procurou uma unidade básica de saúde próxima à sua residência e relatou o surgimento, havia 10 dias, de lesão genital.

Após o relato, o paciente foi acolhido pelo enfermeiro para consulta de enfermagem.

Considerando a situação hipotética apresentada e com base na política nacional de atenção integral à saúde do homem, que orienta as ações e os serviços de saúde para a população masculina, com integralidade e equidade, primando pela humanização da atenção, redija um texto dissertativo acerca da avaliação de risco em consulta de enfermagem. Ao elaborar seu texto, discorra, necessariamente, sobre as orientações a serem prestadas pelo enfermeiro, durante o aconselhamento, com o objetivo de redução de risco de transmissão de doenças sexualmente transmissíveis.

Comentário

Dicas para a elaboração da resposta

  • Introdução – Deve-se mencionar a importância da política de saúde do homem, e o envolvimento dos profissionais de enfermagem na assistência à saúde com humanização. É importante também conceituar avaliação de risco e relacioná-la com a situação do estudo de caso. Além disso, na introdução, deve-se mencionar a necessidade de orientação pelo profissional de enfermagem durante a consulta.
  • Desenvolvimento 1 – Deve-se detalhar a avaliação de risco com foco nas IST.
  • Desenvolvimento 2 – Serão abordadas aqui orientações e justificativas em relação ao problema identificado, a fim de conseguir a adesão do paciente ao tratamento e informá-lo sobre transmissibilidade das IST (uso de preservativo, fazer exames sorológicos).
  • Conclusão – Deve-se elaborar um resumo acerca da situação e importância da atuação da equipe de enfermagem na prevenção de IST e na saúde do homem.
  1. (FCC/ANS/2007)

Texto 1:

Os transtornos psiquiátricos têm forte impacto sobre o indivíduo, a família e a comunidade. Em relação a esta última, frequentemente se observam preocupações quanto ao custo social da provisão extra de atenção requerida pelo paciente e quanto a sua eventual perda de produtividade. Há, ainda, a questão da violência associada a certos distúrbios. O temor da violência tem sido, com efeito, usado como justificativa para a postura favorável à internação de portadores de alguns tipos de transtornos em estabelecimentos específicos.

ZWARTES, Thaís. Transtornos psiquiátricos e relações sociais. Disponível em www.saudemental.com.br. Acesso em 23 de janeiro de 2007.

Texto 2:

Não entendo por que é tão difícil conseguir os comprimidos. O governo gasta muito mais com a internação do que gastaria com o fornecimento regular de medicamentos. Com a internação, tem café da manhã, lanche, almoço às 11h, lanche, jantar às 17h, lanche. E ainda tem a despesa com roupa de cama e isso e aquilo.

Adaptado de: FIGUEIREDO, João Antônio Pereira, portador de esquizofrenia, em entrevista a O Estado de São Paulo. São Paulo, 13 de fevereiro de 2007, Caderno A, p. 14.

Texto 3:

Nos casos de internação, acho que ela deveria ocorrer nos hospitais gerais. O único paciente que é tratado em um espaço separado é o que sofre de doença mental. É importante quebrar esse estigma, que ainda é muito forte.

BRASIL, Marco Antônio, psiquiatra e professor da UFRJ, em entrevista a O Estado de São Paulo. São Paulo, 13 de fevereiro de 2007, Caderno A, p. 14.

Redija uma dissertação em que você exponha e defenda, com argumentos pertinentes, um ponto de vista sobre o tema comum aos textos acima.

Sua redação, em prosa, deve ter entre 20 e 30 linhas e respeitar a norma culta da Língua Portuguesa.

ATENÇÃO!!

Em questões discursivas, é importante observar todas as informações apresentadas pela banca e segui-las à risca, pois o descumprimento dessas acarreta perda de pontos importantes para a sua aprovação. O trecho a seguir é um exemplo dessas informações e compõe as questões discursivas referentes aos dois próximos estudos de caso.

Instruções Gerais:

Conforme Edital publicado, Capítulo IX:

“3.1. Na Prova de Estudo de Caso deverão ser rigorosamente observados os limites mínimo de 12 (doze) linhas e o máximo de 20 (vinte) linhas, sob pena de perda de pontos a serem atribuídos à prova.

  1. A Prova de Estudo de Caso terá caráter eliminatório e classificatório. Cada uma das questões será avaliada na escala de 0 (zero) a 100 (cem) pontos, considerando-se habilitado o candidato que tiver obtido, no conjunto das duas questões, média igual ou superior a 60 (sessenta) pontos.
  2. Será atribuída nota ZERO à Prova de Estudo de Caso nos seguintes casos: a) fugir à modalidade de texto solicitada e/ou às questões práticas propostas; b) apresentar textos sob forma não articulada verbalmente (apenas com desenhos, números e palavras soltas ou em versos) ou qualquer fragmento do texto escrito fora do local apropriado; c) for assinada fora do local apropriado; d) apresentar qualquer sinal que, de alguma forma, possibilite a identificação do candidato; e) for escrita a lápis, em parte ou na sua totalidade; f) estiver em branco; g) apresentar letra ilegível e/ou incompreensível.”
  1. (FCC/TRT3R/AN.JUD.) Uma senhora de 80 anos, diabética e hipertensa, deu entrada em um pronto-socorro, acompanhada pelos familiares, apresentando úlcera venosa em membro inferior direito, com exsudação intensa e edema, queixando-se de dor. A família relata que há 3 meses está procurando a Unidade Básica de Saúde do seu bairro, mas não consegue atendimento devido à ausência do profissional médico.

No pronto-socorro em questão, a enfermeira classificou a paciente de acordo com o Protocolo de Manchester em verde, devendo ser atendida pelo médico em até 2 horas. Passadas 3 horas, os familiares reclamaram da demora no atendimento e na piora da dor, não obtendo resposta. Decorrida mais 1 hora, a paciente foi atendida pelo médico que prescreveu analgésico. Informou-a que a situação apresentada não se caracterizava como urgência e emergência e que a paciente deveria ter acompanhamento ambulatorial. Por isso, não seriam realizadas outras condutas.

  1. a. Cite quais são os princípios doutrinários do Sistema Único de Saúde.
  2. b. Na situação hipotética apresentada, identifique e justifique os princípios doutrinários que não foram atendidos.
  1. (FCC/TRT3R/AN.JUD.) J.L. é um homem de 50 anos, que foi admitido na unidade de queimados de um hospital após sofrer 50% de queimaduras de segundo e terceiro grau nas extremidades inferiores, nas mãos, nos braços e no tronco. A lesão resultou de uma explosão de aquecedor a óleo em um porão. O acidente ocorreu quando ele estava consertando o aquecedor. J.L. não perdeu a consciência e conseguiu fugir do local sem inalar fumaça.

O exame físico revelou ausência de escarro com carbono ou fuligem nas narinas ou na boca. A gasometria arterial estava nos limites normais. As queimaduras em pernas e tronco não ocorreram em circunferência. Antebraços e mãos, porém, ficaram totalmente queimados. Ele tinha edema generalizado, que continuou a ser um problema. Os pulsos periféricos estavam filamentosos nas extremidades inferiores e não palpáveis nas extremidades superiores. Os pulmões estavam limpos bilateralmente. Os sinais vitais eram: PA 100 × 45 mmHg, FC 125 bpm, FR 36 rpm, T 36 °C. Foi passada uma sonda vesical Foley, e o débito urinário estava entre 25 e 29 mL/h. Foi inserido um cateter venoso central, com radiografia confirmando a colocação sem incidentes. Foi administrada solução de Ringer Lactato para repor a perda do volume de líquido perdido que ocorreu em consequência do extravazamento. J.L. estava com muita dor e falou que estava ansioso em relação à incerteza da situação.

Considerando a situação hipotética acima, identifique cinco diagnósticos de enfermagem prováveis, o respectivo fator relacionado e o resultado esperado, de acordo com a taxonomia NANDA e NOC.

  1. (FCC/TRT13R/2014) Os transtornos mentais são comuns demais para que continuemos a vê-los com preconceito. São doenças como quaisquer outras, mas que têm a peculiaridade de afetar o órgão do corpo que nos diz quem somos.

(…)

O diagnóstico de um transtorno mental grave é frequentemente entendido como uma sentença de comprometimento da vida em sociedade. A ciência mostra, porém, que o diagnóstico é o eixo articulador de estratégias terapêuticas para a remissão de sintomas e a reabilitação das pessoas à vida profissional.

Adaptado de: BRESSAN, Rodrigo. Folha de São Paulo, 18/05/2014.

Considerando o que se afirma acima, desenvolva um texto dissertativo-argumentativo a respeito do seguinte tema:

As questões suscitadas pelas doenças mentais no universo do trabalho.

  1. (FCC/TRE/AP/2011) Um enfermeiro irá proferir palestra sobre os modos de transmissão da tuberculose em um curso de graduação de enfermagem.

Descreva os três itens a serem abordados nessa palestra, tendo como base as atuais orientações do Ministério da Saúde.

  1. Como a tuberculose é transmitida de um doente com tuberculose pulmonar para uma pessoa sadia.
  2. As condições ambientais que favorecem a propagação do bacilo da tuberculose.

III. Os fatores que influenciam na probabilidade da pessoa exposta ao bacilo da tuberculose se infectar.

Finalizamos aqui as dicas sobre como responder a provas discursivas e temas explorados pela a banca FCC. Para que esse artigo seja mais proveitoso e eficaz, vocês precisam praticar os temas sugeridos, além de outros que vocês julguem ser interessantes para a prova. Lancem a preguiça e o cansaço de lado e vamos treinar!

Fernanda Barboza
___________________________________________________________________
Mestre em Saúde Coletiva pela UEFS. Servidora pública da Prefeitura Municipal de Salvador. Coach, Mentory, Consultora e Professora na área de Concursos Públicos e Residências. Graduada pela UEFS em 1998, pós-graduada em Gestão em Saúde, Saúde Pública, Urgência e Emergência, Auditoria de Sistemas, Enfermagem do Trabalho e Direito Sanitário. Autora de 02 livros – e mais 03 em processo de revisão: – Legislação do SUS – vídeo livro ( Editora Concursos Psi); Legislação do SUS – Comentada e esquematizada ( Editora Sanar). Aprovada em 16 concurso e seleções públicas (nacionais e internacionais) dentre elas: – Programa de Interiorização dos Profissionais de Saúde – MS – lotada em MG; – Consultora do Programa Nacional de Controle da Dengue (OPAS), lotada em Brasília; – Consultora Internacional do Programa Melhoria da Qualidade em Saúde pelo Banco Mundial, lotada em Brasília; – Governo do estado da Bahia – SESAB – urgência e emergência; – Prefeitura Municipal de Aracaju; – Prefeitura Municipal de Salvador; – Professora da Universidade Federal de Sergipe UFS; – Governo do Estado de Sergipe (SAMU); – Educadora em Saúde mental /FIOCRUZ- lotada Rio de Janeiro.
____________________________________________________________________

Estudando para concursos da área da Saúde? Prepare-se com quem tem tradição de aprovação e mais de 26 anos de experiência em concursos públicos. Cursos online com início imediato, visualizações ilimitadas e parcelamento em até 12x sem juros
matricule-se 3

assinatura ilimitadagarantia-de-satisfacao-30

Deixe uma resposta